Tendências de mídia programática: confira 5 delas para investir!

4ADS

Compartilhar


O ano de 2019 foi um período muito intenso para a publicidade — mais do que foram os anos anteriores, porém, menos do que está projetado para 2020. Isso porque, com a internet das coisas, a inteligência artificial e muitas outras peças sendo postas no tabuleiro das tendências de mídia programática, estão sendo criadas formas cada vez mais eficazes de se comunicar a partir da tecnologia.

Colocando-se como um dos componentes mais cruciais para a tecnologia da publicidade, a mídia programática vem mantendo atentos profissionais da área e chamando cada vez mais a atenção das marcas. Apenas para demonstrar um pouco dessa relevância, estima-se que os gastos com anúncios programáticos representarão US$ 98 bilhões e 68% do gasto global com anúncios em mídia digital em 2020.

Além disso, em 2021, os Estados Unidos aumentarão os investimentos em mídia digital que, atualmente, já representa mais de 50% do gasto com publicidade, devendo chegar a 66,8% em 5 anos, de acordo com relatórios do eMarketer. No Brasil, essa parcela poderá chegar a 41,6%.

Em resumo, as tendências em mídia programática para o próximo ano certamente terão muito impacto na decisão das empresas do ramo publicitário e no sucesso das empresas em se comunicar com seu público.

As 5 principais tendências de mídia programática para 2020

Pensando em maneiras eficientes de ajudar as marcas a trilharem o caminho da revolução digital também no mercado de mídia, neste conteúdo listaremos as 5 principais tendências para 2020 que, com certeza, movimentarão o mercado de venda de mídia programática. Confira agora.

1. Inteligência artificial

É fato que a inteligência artificial já desempenha um papel essencial em muitos mercados centrados na tecnologia, principalmente no setor industrial. Quando falamos em tendências de mídia programática, porém, em especial no Brasil, esse ainda é um caminho que vem sendo construído nos últimos anos.

Atualmente, o mercado publicitário já enxerga a IA como ferramenta fundamental para melhorar a comunicação das marcas com seus respectivos públicos e alcançar resultados ainda mais assertivos.

Com recursos antes inimagináveis, essa tecnologia traz a chance de agilizar a relação entre anunciantes e publicitários, auxiliando agências e organizações nas tomadas de decisões, e muito mais.

2. Omnichannel

A venda de mídia programática vem se movimentando cada vez mais em direção á prática do omnichannel — estratégia com foco no uso simultâneo de mais de um canal de comunicação para melhorar a experiência do usuário, e em 2020 não será diferente.

Além de facilitar um maior conhecimento da audiência e maior fluidez na comunicação, o omnichannel também possibilita que anunciantes estejam presentes nestes canais, facilitando a venda programática e alcançando os usuários onde quer que eles estejam.

Um ótimo exemplo dessa importância se reflete em uma pesquisa realizada pela Zendesk, que mostra que, atualmente, 87% dos usuários acreditam que as marcas precisam esforçar-se mais para criar uma experiência melhor e sem obstáculos para seus consumidores.

3. Lei Geral de Proteção de Dados

2020 é o ano em que a Lei Geral de Proteção de Dados — a LGPD — entrará em vigor no Brasil. Por essa razão, é importantíssimo que as empresas estejam preparadas para esse novo contexto legal, que vai além do roll das tendências de mídia programática para este ano, enquadrando-se como uma obrigatoriedade.

Em 2018, quando o Regulamento Geral de Proteção de Dados — GDPR — foi implementado na União Europeia, afetou anunciantes e publicitários ao redor do mundo todo pelas alterações realizadas no que tange a forma de se relacionar com dados de cidadãos europeus.

Seguindo o exemplo europeu, a LGPD foi criada para assegurar mais segurança para os dados dos usuários no Brasil, além de um controle maior dos proprietários dos dados sobre a forma de utilização e destino de suas próprias informações.

Por isso, é importante que ambas as leis sejam cumpridas pelas empresas que têm relação com esses usuários, inclusive no mercado de venda programática, que trabalha com dados utilizados para o processo de compra e venda de mídia automatizada.

4. Deep Learning

Forte tendência para o Brasil em 2020, o Deep Learning é projetado e utilizado para analisar dados de usuários com uma estrutura semelhante a como a racionalidade humana tiraria suas conclusões. Para isso, é preciso que o algoritmo desenvolva uma capacidade de aprendizado profunda, utilizando uma disposição em camadas denominada de rede neural artificial — RNA.

Com esse objetivo de simular o pensamento humano, a RNA é inspirada na rede neural biológica de um ser humano, fazendo com que a inteligência da máquina torne-se mais eficiente do que os padrões já conhecidos.

Com o deep learning, é possível criar soluções mais inteligentes e diferenciar contextos na execução de ações, otimizando a assertividade do processo de venda programática.

5. TV programática

Por fim, uma das tendências de mídia programática que promete preencher a lacuna existente entre a publicidade online e televisiva é a TV programática. Segundo pesquisa realizada pela eMarketer, espera-se que 5% de todos os gastos com anúncios de TV feitos nos Estados Unidos em 2020 sejam a partir da venda de mídia programática.

Além disso, de acordo com o estudo Global Entertainment & Media Outlook, da PwC, estima que, até 2021, a TV programática represente cerca de um terço da receita com anúncios televisivos em todo o mundo, incluindo a possibilidade de anúncios em vídeo, campanhas de TV muito mais segmentadas e baseadas em dados dos consumidores etc.

Por que investir nessas tendências

Com todas essas informações, fica muito difícil ignorar as diversas tendências de mídia programática que aparecem, diariamente, no mercado publicitário. Além de serem formas de manter empresas cada vez mais conectadas com seu público, essas tecnologias também oferecem oportunidades antes inexploradas de inteligência artificial.

Muito além da Inteligência Artificial, cada uma das tendências apresentadas neste texto oferece possibilidades de potencializar os resultados em venda de mídia programática e, se bem utilizadas, tornar qualquer negócio bem-sucedido.

Entender melhor cada uma dessas tendências de mídia programática, entretanto, não é suficiente. É preciso conhecer os benefícios de aplicá-las a seu favor e fazer com que suas funcionalidades realmente trabalhem para o êxito do seu negócio. Para entender isso e mais, indicamos a leitura deste artigo.


4ADS

Equipe 4ADS


Tags:

Mercado

Recomendados para você

© 4ADS 2022 — ALL RIGHTS RESERVED